Ensino superior em retrato

Luana Lourenço Revista Ensino Superior via UOL Educação (6.fev.2011)

O novo sistema de coleta de dados do Censo da Educação Superior, que passou a incluir informações individualizadas de docentes e alunos, será mantido na próxima etapa do levantamento. Em 2011, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) vai repetir a metodologia e integrar as informações a outros bancos de dados do Ministério da Educação.

O preenchimento de dados para o Censo 2010 deve começar na segunda metade de fevereiro, de acordo com o cronograma preliminar do Inep. A novidade será a integração do Censo ao e-MEC, sistema eletrônico que reúne todos os processos ligados às instituições de ensino superior do país. A articulação deve fornecer um quadro mais completo da educação superior e orientar a formulação de políticas públicas para a área.

“A integração permitirá que a informação gerada passe a ter papel fundamental para as ações governamentais, além de reduzir a carga de informações solicitada à instituição de ensino superior”, avalia o diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, Carlos Eduardo Moreno. O instituto também deve aperfeiçoar os mecanismos de verificação das informações e de migração dos dados, mas a estrutura básica será mantida.

O sistema foi bem avaliado por pesquisadores institucionais e, segundo o Inep, não houve grandes contratempos na transmissão dos dados. No total, 2.314 instituições repassaram ao Censo as informações de 2009. “O processo que exigiu maior dedicação tanto das instituições quanto do Inep foi o de migração de dados de instituições que não usaram o sistema on-line”, avaliou Moreno.

Para as instituições que já utilizavam bancos de dados digitalizados, o trâmite foi mais simples. O secretário-geral e diretor de Pesquisas Institucionais da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Nelson Callegari, conta que a instituição não teve problemas com o novo sistema e que, apesar da exigência de novos dados, foram necessários apenas alguns ajustes para repassar as informações para a base do Inep. “O processo funcionou bem. Quando se tem a informação disponível, basta fazer uma mera transferência dos dados”, resumiu.

A expectativa de Callegari é que, na próxima etapa, o repasse de informações seja ainda mais rápido. “Se tudo for mantido como está, sem novas exigências, já temos quase tudo pronto para o Censo 2010”, prevê.

O coordenador de desenvolvimento da Universidade Católica de Brasília (UCB), Paulo Henrique Guimarães, também aprovou a nova metodologia de coleta de dados do Censo, mas lembrou que a instituição teve problemas para preenchimento dos números de CPF de alguns estudantes. “Foi difícil porque não são todos os alunos que têm CPF, pois alguns entram na universidade quando ainda são menores de idade. Ainda bem que pudemos utilizar o CPF dos responsáveis.” A partir de 2011, o Inep vai exigir o preenchimento com o número do documento do estudante.

Resultados rápidos

Apesar da boa avaliação, os gestores defendem mais rapidez na divulgação dos dados do levantamento. “Os números são importantes para o planejamento interno, permitem uma avaliação do cenário regional e em relação a outras instituições do país”, pondera Guimarães.

Callegari também defende a antecipação de alguns resultados. A prévia poderia auxiliar no planejamento estratégico das instituições ao permitir acesso a informações gerais sobre oferta de vagas e movimentação de estudantes entre cursos e universidades.

O Inep pretende reduzir a defasagem entre o período avaliado pelo Censo e o ano em curso, mas não há previsão de acelerar a coleta de dados já em 2011. “Vamos manter a atual sistemática até que ela se consolide. Como grande parte dos cursos funciona por semestre, e incluem dois momentos para ingresso e conclusão, a coleta de dados precisa acontecer ao final do ano de referência para captar todos os eventos do período”, explica Carlos Eduardo Moreno. As informações do Censo 2009 estarão disponíveis no endereço www.inep.gov.br.  Até o fechamento desta edição, o instituto estava finalizando a Sinopse Estatística do levantamento.

Primeiros números

Números preliminares do Censo 2009 revelam que as matrículas no Ensino Superior cresceram 3,8% em um ano e o número de estudantes nesta etapa chegou a 5,95 milhões em todo o Brasil. As instituições privadas são responsáveis por 74,4% das matrículas, com 4,43 milhões de alunos. Nas universidades públicas, houve redução de cerca de 30 mil matrículas e o total caiu de 1,55 milhão para 1,52 milhão. Os números incluem estudantes de cursos presenciais e à distância.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: