Perguntas à reitoria sem respostas: Audiência Pública na ALESP e a cobertura da mídia

Rodas reitor da USP

A audiência pública, na Assebleia Legislativa de São Paulo, que seria com reitor da USP, João Grandino Rodas, mas que contou somente com o representante da comunicação social, isto é, do professor-funcionário responsável em dar respostas palatáveis à imprensa sobre os absurdos praticados pelo atual reitor, foi um tanto estranha.

Um desses momentos foi quando o representante da reitoria dormiu durante a audiência, além disso, ele retirou-se muito antes do encerramento, alegando-se ofendido. O mais triste é que foi justamente no depoimento de um dos funcionários demitidos. Ninguém quer compadecer da dor e da tristeza de ter sido demitido num truque da reitoria para antecipar as aposentadorias de funcionários. Essa arapuca atingiu gente muito competente (como bem sabem os alunos da Faculdade de Letras com a da perda do “Bigode” da Seção de Alunos,) quantas vidas eles não salvou dentro do mar da burocracia?

Além dessas demissões, também foi tratado a redução de vagas na USP Leste, e a compra de áreas distantes da USP para o funcionamento de determinados setores, provavelmente para que não tenham paralizações durante greves, o que faz sentido ao observarmos a gestão do reitor Rodas com seus posicionamentos claramente anti-trabalhistas, sindicais e acadêmicos.

No entanto, exagerou na mão, digamos, pois se a própria reitoria alega que não há verba para assistência estudantil, contratação de funcionários e outros serviços essenciais, como o Hospital Universitário, como aconteceriam essas compras de terrenos, imóveis e outros bens, como o que o deputado Carlos Gianazzi do PSOL apontou ao apresentar documento comprovando uma compra milionária por ordem do senhor Reitor? Deveríamos dizer ao reitor: minta, como faz nesses boletins-spams que envia por e-mail, mas não exagera tanto, que uma hora a comunicade universitária vai se revoltar. Afinal de contas, o que dizeer de um estacionamento de 7,6 milhões,  vejam vocês?!!

Infelizmente, não se tocou nem em outros pontos, e o clima já esquentou, como o caso do falecido aluno Samuel, das ameaças de expulsão e perseguição de militantes, além de pessoas que são sindicadas e processadas aleatoriamente apenas por passarem em assembleias e manifestações, muitas das vezes  só de curiosos. Ou o caso do funcionário Brandão, num contexto em que há seis técnicos da USP em ar-condicionado, mandaram um embora, logo restaram cinco funcionários em toda a USP Capital para trabalhar nesse setor, com a demissão do funcionário do Sindicato, Claudionor Brandão.

E também faltaria tratar do novo Inclusp, que poderia se chamar Exclusp. Ex-Inclusp, programa de inclusão que agora é de Exclusão radical.

Abaixo, leiam cobertura da Audiência pelo G1 e outros veículos de comunicação:

http://glo.bo/heYQ8f

Fechou a USP em Ribeirão Preto e São Paulo, e o reitor não foi e fingiu que não viu. Pois é, como para ele aula presencial não vale nada numa universidade, nem livro, nem funcionário, insistiu em fingir que não viu, mesmo que a gente saiba que não é possível, como aparece na matéria de Mariana Desidério da folha de São Paulo:

http://bit.ly/fw5f3S

Ou ainda a matéria no Estado de São Paulo, de Mariana Mandelli, sobre os terreno milionários:

http://bit.ly/f1MVL5

Citando a matéria:  “O documento pede um posicionamento sobre um imóvel na região da Avenida Paulista, no valor de R$ 3,6 milhões; outro na Consolação, de R$ 7,4 milhões, e três unidades de estacionamento na região de Santo Amaro – duas de quantia equivalente a R$ 10,7 milhões e outra de 2,8 milhões. A USP afirma que ainda não foi notificada.”

Mas ao fim, seria o Wanderley assim tão afinado com a política de Rodas ? Era o que nos perguntávamos ao ler a entrevista e, sim, é provável que cresça a manifestação assim como ele disse na matéria de Cinthia Rodrigues para o iG :

http://bit.ly/gVl4Qs

“Por telefone, Costa afirmou que também já foi presidente da Adusp e entende as manifestações. “Eu fui um dos que defendi a criação da USP Leste e o curso de Obstetrícia, eu ia lá conversar com a comunidade. Até em reunião em igreja eu fui. Não mudei de ideia de 2004 para cá, sou contra o fechamento da carreira”, disse.

Na época da criação do campus, o atual coordenador de Relações Internacionais era prefeito da Cidade Universitária. Para ele, a comissão que fez o relatório sugerindo o fechamento de vagas errou. “Primeiro por não ter representante de obstetrícia, segundo por não ter debatido a questão e, terceiro, por ter divulgado antes de conversar com os interessados”.

Costa acredita que a união provocada pelo documento entre professores, funcionários e estudantes ainda terá consequências maiores. “A USP Leste é um projeto social, qualquer coisa que se faz lá tem repercussão. O que vimos hoje na Assembleia é um tsunami. A mobilização dos alunos é impressionante””

Pois é, então já sabe, tsunami não deixa nada no lugar. E perceberam que a coisa na USP anda grave, então não se junte com esse tipo de gente, sai de perto do Rodas, nem o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, que também é da Opus Dei como disse o Andrea Matarazzo no wikileaks, quer por a mão no fogo por ele e se comprometeu pelo curso de Obstetrícia.

http://bit.ly/iaYVRe

O que acontecerá Rodas ficará como está? Mentirá no próximo boletim SPAM  com data adiantada, como mostrou o boletim do Sintusp, quase um jogo dos 7 erros? Chamará a todos de esquerdistas incluindo a imprensa e dirá que são todas mentiras, invertendo o sentido dos fatos ? As pessoas se levantarão como um tsunami como previu o professor Wanderley ?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: