Estação Butantã: por que o metrô não chega dentro do campus da USP?

28/03/11 pela urbanista Raquel Rolnik em seu blog

Foi inaugurada hoje, em São Paulo, a estação Butantã da linha amarela do metrô, ligando a estação Paulista, que já está em funcionamento parcial desde o ano passado, até a Av. Vital Brasil.

Resolvi conhcer a nova linha. Saindo da estação, precisei caminhar quase 1km para chegar até a portaria da USP e, durante o trajeto, não conseguia parar de me perguntar por quê o metrô não chega dentro do campus.

Segundo informações que obtive de um técnico do metrô, foi a reitoria da USP que não permitiu a instalação de uma estação dentro do campus, alegando questões de segurança.

Com isso, as mais de 50 mil pessoas que frequentam o campus do Butantã, diariamente, deixam de ter uma opção que, se integrada com circulares ou mesmo sistemas de bicicletas, viabilizaria uma melhora muito considerável na acessibilidade e mobilidade do campus.

Para piorar a situação, descobri com uma aluna que resolveu tomar um ônibus da Vital Brasil até o campus, que não há integração gratuita até a USP. Além disso, atualmente há apenas duas linhas em funcionamento, sendo que uma delas passa de hora em hora.

Resultado: a aluna veio em 15 minutos da Ana Rosa até a Vital Brasil e levou mais 30 – 20 esperando pelo ônibus – de lá até a FAU USP.

Apenas uma linha circular (Metrô Butantã-Cidade Universitária) está prevista nos planos da SPtrans.

Comentário :

Como disse a urbanista Raquel Rolnik: “Segundo informações que obtive de um técnico do metrô, foi a reitoria da USP que não permitiu a instalação de uma estação dentro do campus,alegando questões de segurança.”

O aluno, o professor e o funcionário não tem essa opção de transporte, pois sua opinião sequer foi considerada, ou a brusca redução de carros circulando dentro do campus que tal medida proporcionaria em prol do transporte público e do fim da utilização de boa parte do campus como estacionamento de professores e alunos. Do mesmo modo, não foi considerada a melhora  do  transporte e da qualidade de vida de quem AINDA trabalha aqui, e não foi transferida para algum local distante que não possa ter greves e se possa ignorar a existência, onde pouco importa também  qual transporte irá chegar nestes locais que sumirão da vista e, em breve, muito provavelmente, da existência.

Mesmo assim, ainda há quem goste e apoie a reitoria, o C.O. e uma ultracentralização do poder na mão de um único sujeito, como este nosso poste do Serra e ache que os problemas da USP são culpa do DCE da ADUSP e do SINTUSP. E gente com curso superior, vá se entender.

Anúncios
3 comentários
  1. Claus Anches disse:

    Acho que seria muito bom construir um túnel com esteiras rolantes para pedestres, ligando a estação butantã à USP. Gostaria, se possível, que me informassem se já se pensou nisso. Obrigado.

  2. Te digo: porque quando era hora (uns 15 anos atrás), ninguém se mexeu… Porque costumamos ter preguiça de pensar em avanço, e reivindicar que se remedeie, não que se previna…

  3. Absurdo. Agora que está pronta, deveria haver pelo menos uma “ponte orca” da vida, com vans de 5 em 5 minutos….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: