arquivo

Arquivo da tag: Edusp

João Grandino Rodas, com seus lindos cabelos tingidos de acaju, despachou, sem mais, na semana passada, Edusp e CCS para o prédio alugado na avenida Corifeu de Azevedo Marques.

Conforme um leitor comentou neste blog, e pudemos confirmar hoje, o despacho foi sumário, sequer houve como desmarcar reuniões agendadas na Antiga Reitoria. Não bastasse isso, o novo prédio está com as paredes sujas, é pequeno para acomodar o número de pessoas transferidas, não existe tomada suficiente para computadores, está sem telefone e não tem internet.

Na reitoria, diz-se que o atual reitor odeia ser contrariado, chegando ao paroxismo de se desgastar com eventuais e-mails que contenham críticas à sua administração. Some-se isso às medidas despóticas que vem tomando, Rodas está parecendo mais um reizinho mimado que um reitor.

Prédio alugado para abrigar Edusp e outras seções

Se para negociações salariais a reitoria alega falta de dinheiro, o mesmo não acontece quando estão em questão os projetos unilaterais da admnistração central. Por exemplo, a nova sede da Edusp custará a bagatela de 80 mil reais mensais de aluguel, lembrando que o o prédio, que já é pequeno para comportar as atividades da Editora da USP, terá que abrigar outras áreas como o CCS e a Seção de Registro de Diplomas. Como desgraça pouca á bobagem, Read More

"Prédio alugado na Av. Corifeu de Azevedo Marques, 1973, cuja área é bastante exígua para comportar a CCS, a Seção de Registro de Diplomas e seu arquivo, além da Edusp e seu estoque"

por Em Defesa da Educação (14.fev.2011)

As mudanças recentemente anunciadas de órgãos da USP que ora funcionam no Edifício da Antiga Reitoria para prédios alugados fora da Cidade Universitária são apenas o mais novo capítulo da novela iniciada ainda em novembro de 2009, logo após a escolha de João Grandino Rodas como reitor da Universidade de São Paulo.

A se julgar pelo histórico desde então, marcado por falta de planejamento, idas e vindas, compromissos assumidos e não cumpridos e inúmeras alterações de planos, o que agora se anuncia pode não passar de mais um susto – ou será que agora é para valer? Impossível saber, já que a incerteza parece fazer parte da estratégia de atemorização de funcionários e mesmo de dirigentes que, sem saber como agir e o que esperar, relutam em se posicionar.

No início, a retomada do Edifício da Antiga Reitoria era “simbólica”, um “caminho de volta para se re-estabelecer os valores da Universidade”. Read More